Marcelo Cohen fecha acordo para aquisição da Flytour.

Marcelo Cohen e Eloi Oliveira

Marcelo Cohen fecha acordo para aquisição da Flytour: O empresário Marcelo Cohen, e dono da Belvitur e outros negócios de turismo, e Eloi D´Avila Oliveira confirmaram a negociação do Grupo Flytour, um dos maiores players do mercado de turismo do Brasil. Com a aquisição, a expectativa é que o novo grupo volte aos patamares de vendas de 2019, na ordem de R$ 6,2 bilhões, e até final de 2023, acima de 10 bilhões. Marcelo Cohen assumirá o controle societário e ocupará a posição de CEO do Grupo. Eloi D´Avila Oliveira segue na empresa, compondo o conselho consultivo e atuando junto aos clientes.

Segundo Cohen, a aquisição faz parte da estratégia de se tornar a maior plataforma de turismo do Brasil. Para dar seguimento ao plano de negócios, o empresário vem investindo em tecnologia para criar um ecossistema robusto, com todas as empresas operando de forma independente, mas em sinergia e respondendo a holding. O plano conta ainda com o Banco Master, como advisor, além de atrair o interesse de outros players. A expectativa é que em seis meses todo sistema já esteja integrado, ampliando a atuação do Grupo no mercado. Atualmente são mais de 15 empresas na área de tecnologia voltada ao turismo.

A negociação entre as duas empresas teve início há oito meses. De olho na expansão dos negócios, Cohen viu uma oportunidade única na aquisição da Flytour. No comando da Belvitur e também no novo grupo, o empresário acredita na retomada do mercado em 2022.

“Há uma demanda reprimida que ganhará força nos próximos meses, à medida que a vacinação avança, reforçada com a abertura das fronteiras. Por isso, a importância do movimento de investir agora em tecnologia. Todas as aquisições recentes possuem raízes tecnológicas. A visão de futuro é que o grupo se torne expert em soluções tecnológicas de turismo. A tecnologia vai reinventar nosso negócio, mas a relação humana ainda é a chave para nosso sucesso”.

Com as novas aquisições, o Grupo passará a embarcar mais 700 mil passageiros/mês, 1 MM de room nights/mês, se tornando a maior empresa de turismo de capital fechado da América Latina, terceiro maior player na mesma região e a maior de capital fechado também no âmbito geral.

O turismo foi um dos setores mais afetados pela pandemia de Covid-19 e um dos primeiros a sentir os impactos negativos causados pelas políticas de restrições, cancelamento de viagens e fechamento de fronteiras. No entanto, estamos falando de um ambiente de negócios robusto e que tem capacidade para encontrar motores de recuperação.

Fundada em 1974, por Eloi D´Avila Oliveira, a Flytour é líder absoluta no mercado de viagens corporativas há mais de 40 anos. Atualmente a empresa conta com 1100 colaboradores e atende mais de nove mil clientes, além de oferecer soluções para cerca de cinco mil agências de viagens. A Flytour é composta por nove unidades de negócios, nos seguintes segmentos: consolidadora, operadora, corporativo, franchising, eventos e operadora de programas de fidelidade. Um dos destaques é a Vai Voando, que nasceu para democratizar o turismo para as classes mais populares, como um sistema de fomento social e econômico nas periferias.

Com a crise econômica provocada pela pandemia, a empresa iniciou a reestruturação financeira e entrou em recuperação extrajudicial, que deve ser encerrada com o pagamento das dívidas nos próximos dias. Todo o processo foi conduzido pela Alvarez & Marsal.

Outra empresa de destaque no novo grupo é a Belvitur, que tem mais de 50 anos no mercado de turismo, atuando na divisão de serviços de viagens. A empresa mineira opera focada, principalmente, em prestação de serviços de viagens corporativas e a lazer. A companhia tem investido em startup´s para ganhar mais sinergia nos negócios e empoderar a operação com soluções disruptivas. Entre 2020 e 2021, investiu na Mobicity (plataforma integradora de Serviços de Mobilidade), a Guide121 (Solução de IA para assistência digital especialista em turismo & entretenimento), a Tech Travel (empresa de base tech para gestão de viagens a negócios), a B.hotéis (e-commerce de hotelaria nacional), a Tuuris (marketplace que conecta a demanda on com o atendimento off) e a Open Travel (plataforma de base tech para gestão de viagens corporativas).

A estratégia da marca de criação de um ecossistema robusto na cadeia do turismo, fez com que Belvitur venha atuando em vários segmentos, como a Belvitur Câmbio, a Bpark Estacionamento, a Belvitur Air (Aviação Executiva), Bclub Travel Co-working (primeiro coworking no Brasil focado em turismo), e os hotéis Tryp by Wyndham (em Guarulhos) e Hotel Botanique Campos do Jordão, que foi investimento junto Daniel Vorcaro, CEO do Banco Master (primeiro hotel da rede de luxo Six Senses no Brasil). Diante tantos investimentos, vale destacar que mesmo em um ano de pandemia, a empresa fechou 2020 em crescimento.

Leia mais em nosso Blog.