Flytour Logo

Viagens corporativas e seguro-viagem: tudo que o gestor de viagens precisa conhecer

Viagens corporativas e seguro-viagem: tudo que o gestor de viagens precisa conhecer

Em um mundo globalizado, as viagens corporativas são uma parte intrínseca e indissociável do funcionamento das grandes empresas, seja para fechar negócios, participar de conferências ou mesmo treinar e engajar equipes.

Sem sombra de dúvida, viajar é uma necessidade. Mas vale lembrar que, com essa necessidade, surgem as responsabilidades: garantir que cada viagem ocorra sem contratempos e imprevistos.

Nesse cenário é que entram o seguro-viagem e o papel insubstituível do gestor de viagens. E para ajudar a entender a importância de garantir uma jornada tranquila antes, durante e depois da viagem, reunimos aqui dicas essenciais para apoiar o gestor de viagens nessa missão.

Confira 4 dicas fundamentais para garantir bons resultados e a excelência das viagens corporativas.

#1 O que está em jogo?

Antes de mergulhar na importância do seguro-viagem, é crucial entender o que está em jogo e vale lembrar que uma viagem corporativa não é apenas sobre o indivíduo que viaja, mas também sobre a reputação da empresa, a continuidade dos negócios e, acima de tudo, a segurança e o bem-estar dos seus colaboradores.

#2 Seguro-viagem: uma necessidade, não um luxo

Geralmente, o seguro-viagem é encarado como um luxo ou uma despesa adicional que pode ser cortada. Na realidade, é uma rede de segurança. Coberturas como cancelamento de viagem, perda de bagagem, emergências médicas e, até mesmo, translado médico em situações extremas podem ser a diferença entre uma crise e um mero inconveniente.

#3 O gestor de viagens: o guardião da segurança

O gestor de viagens desempenha um papel fundamental nesse cenário, pois ele não é apenas responsável por organizar itinerários ou garantir que os voos estejam alinhados com as reuniões. Sua responsabilidade vai muito além:

  • o gestor de viagens tem uma visão completa de todas as viagens corporativas planejadas. Isso permite que ele identifique potenciais riscos, como, por exemplo, destinos com instabilidade política ou áreas propensas a desastres naturais.
  • com base nessa visão, o gestor pode selecionar o seguro-viagem mais adequado, garantindo que todas as eventualidades sejam cobertas.
  • em caso de emergência, o gestor de viagens é o primeiro ponto de contato do colaborador na viagem. Tanto que ele precisa estar apto a indicar os caminhos adequados, garantindo que os viajantes recebam assistência imediata.

#4 Uma abordagem proativa

Reforçando: a importância do seguro-viagem para grandes empresas não pode ser subestimada. Afinal, ele protege não apenas os ativos mais valiosos da empresa – seus colaboradores, mas também sua reputação e operações. E no centro dessa estratégia proativa, está o gestor de viagens, garantindo que cada viagem seja tão produtiva quanto segura.

Em um mundo no qual o inesperado pode acontecer a qualquer momento, ser proativo, em vez de reativo, é a chave da excelência.

Com um seguro-viagem robusto e um gestor de viagens competente, as grandes empresas estão bem equipadas para enfrentar os desafios das viagens corporativas no cenário atual, dado que estes sempre acontecem nos momentos em que menos esperamos.

Ainda tem dúvidas? Fale com nossos especialistas e conte com a assistência de quem é líder no segmento e já embarcou milhares de viajantes pelo mundo.

Se você busca orientações mais específicas para suas próximas jornadas ou tem dúvidas sobre seguro-viagem e como contratá-lo, a Flytour tem uma equipe de especialistas à disposição para guiá-lo com conhecimento e segurança.

Flytour. Conectando o viajante às suas melhores experiências de viagem.

Confira também